Escritor ou vendedor de letras

O escritor cristão tende a achar que o seu livro é a salvação da humanidade ou de um seguimento dela. Pode ser bom pensar assim, mesmo sendo realista e sabendo que não conseguirá tal amplitude.

Se não for um sonhador, é melhor procurar outra coisa pra fazer. Não passa de um vendedor de letras e números em busca de recursos financeiros.

Como separar o idealista do mercenário? Como editor conheci muitos destes e tentei, sem muito sucesso fazer esta separação. O conteúdo cristão é redentor sim, mas não o escritor.

Outro problema que enfrentava era convencer alguns escritores de que ele leva adiante uma mensagem que não é dele, mas de Deus. Quanto mais fiel ao autor, maior a sua penetração em cada leitor. Deus vela pela sua Palavra e não pela nossa.

Nem todos conseguem ver as linhas tênues que separam a atitude certa da errada.

Depois de perder a humildade, o escritor é tomado por um espírito messiânico sofre de megalomania e precisa de tratamento. Deixa de sonhar e passa a delirar. O pior de tudo é que alguns delírios são contagiosos.

Muitos candidatos a escritores me procuraram e disseram:

– Tenho um manuscrito e se você tiver um tempinho para avaliar e me der uma chance, eu agradeço muito.
Dois anos depois que investi nele verbas de marketing, viagens, lançamentos e muito tempo, ele volta dizendo:

– Trouxe um novo livro e quero saber se você está interessado. Tem muita gente querendo publicá-lo e estou lhe dando uma chance.

Você não imagina como é dolorido ver uma pessoa descer tanto assim.
Aquele que se humilhar será exaltado, o que se exaltar será humilhado (Bíblia nele).

Ubirajara Crespo

Publicado a partir do BlackBerry para o WordPress.

Anúncios