Receber poder para o que?

Poder e influencia precisam cair em boas mãos. A procura por um Estado Teocrático parece ser o destino de alguns arranjos políticos por parte dos evangélicos. Todo líder que consegue atrair seguidores parece ter como o ponto final de sua carreira algum posto político.

Os evangélicos estão divididos demais para pensarem em uma representação política. Não há bancada evangélica na câmara, como não há entidade representativa nossa, com procuração registrada em cartório.

Nossa herança reformada não permite um poder representativo central.

No dia em que isto existir, seremos um estado dentro do estado.

A separação entre Estado e Igreja é das mais notáveis contribuições da Reforma.

Não somos suficientemente confiáveis para Deus colocar o mundo em nossas mãos

O megalomaníaco tem surtos de grandeza, se acha essencial e necessário para a existência dos outros.

Se impõe usando os recursos disponíveis. Sejam finanças, oratória, manobras, mentiras, manipulação, etc.

Precisamos mesmo é uma mudança radical em nossos corações. Um por um e não coletivamente. Uma cura Interior de toda uma nação é o tipo de oferta que a Igreja não tem como oferecer.

Jesus quer mudar primeiro a mim, depois a você e assim por diante….

Ubirajara Crespo

Publicado a partir do BlackBerry para o WordPress.

Anúncios