O PAPA NEGRO

Para evitar especulações, começo explicando que o título desta postagem não foi inventado por mim e não tem nada a ver com a cor da pele do papa.

Muitos vaticanistas mencionam um poder paralelo na Igreja Católica que tem sido denominado como o PAPA NEGRO. Grupos diferentes tem sido associados a este título, principalmente os jesuítas.

Que há lutas pelo poder na Igreja católica, isto todo mundo sabe, embora não seja falado abertamente. Isto se aplica a todas as religiões, inclusive a nossa, os evangélicos.

A teoria do revezamento entre jesuítas e franciscanos no poder por detrás do poder aparente, é antiga. A ordem dos jesuítas tem um presidente que subsiste há mais de 30 anos, o que da mais consistência ao grupo. O Papa Francisco é um jesuíta de hábitos franciscanos, um homem que une estas duas correntes. Pela lógica, seria a mistura ideal para unir os dois lados desta aparente disputa.

Cada ordem católica tem seu conselho e seu presidente. Todos procuram colocar suas opiniões e sugestões como as melhores para a igreja romana. A forca do presidente pode determinar o tamanho da influencia do grupo.

Dependendo do momento, do assunto e da retidão do tema tratado, fazem isto aberta ou claramente. O poder exercido na penumbra tem sempre um cheirinho de enxofre e po de serra.

Creio que todos gostariam de ter ascendência sobre o papa branco, que é o poder aparente. Isto dependera muito das ligações afetivas, das amizades feitas durante anos de convivência na quietude dos mosteiros e das faculdades de teologia.

Obviamente o relacionamento pessoal mais próximo torna uma pessoa mais ou menos influente do que outra. A cura Interior se faz necessária entre todos nos que temos sonhos de fama, poder e influencia aberta ou subliminar.

Creio que não há nada conclusivo

Ubirajara Crespo

Publicado a partir do BlackBerry para o WordPress.

Anúncios