Critérios divinos para avaliação pessoal

2Rs 29:1,2: Ezequias reinou 29 anos em Jerusalém. Ele fez o que era correto diante do Senhor, conforme tudo o que havia feito Davi, seu antepassado.
 
Vários reis de Israel receberam um carimbo em suas testas, que tenho certeza, você não gostaria de receber: Bom ou mau aos olhos do Senhor.
 
Fidelidade foi o critério adotado pelo Senhor ao avaliar os reis de Israel, comparando-os sempre com um modelo que era Davi, enquanto eles achavam que o critério deveria ser eles mesmos. Usando linguagem mais contemporânea, como lhes desse na telha.
 
Talvez suas telhas (ou cabeças) estivessem quebradas, e alojavam grandes absurdos teológicos e comportamentais.
 
Jz 21:25: Naqueles dias, não havia rei em Israel; cada um fazia o que achava mais reto.
 
Ezequias, felizmente, andou na contramão de seu antecessor, que era seu próprio pai e de Manassés, seu filho e sucessor. Apesar de presenciar seu pai entregando seus irmãos para sacrifício no altar de Moloque e Astarte, resolveu servir ao Senhor, do mesmo modo como fez Davi, um exemplo distante, que não conhecia pessoalmente, mas que marcou profundamente seu povo.
 
Tinha tudo para não dar certo, mas fez o que era bom diante do Senhor.
 
A influência cultural, familiar, espiritual e social reinantes durante a sua formação, é grande, mas pode não ser determinante, basta tomar a decisão certa. Ezequias é um exemplo, para todos nós, de que podemos resistir.
 

 

Submeter-se a Deus é resistir ao diabo, e se existiram pessoas que conseguiram fazer isto, então você pode.
Anúncios