Pastor e Ovelha, modelos de relacionamento

Nos pastores, temos dificuldade para participar de reuniões do tipo “uns aos outros”. A nossa herança evangélica nos condicionou ao ensino de “um aos outros”.

A própria arquitetura do salão de culto põe o pastor de pé em posição mais elevada e os demais assentados voltados para o púlpito. Um fala e os outros ouvem.

Ninguém colabora com a palestra, pergunta ou é incentivado e cobrado pelo conhecimento e pratica daquilo que ouviu.

Um sabe e os demais são aprendizes descomprometidos.

Esta centralização do ensino é, provavelmente, a causa de nossa dificuldade para ouvirmos, sermos consolados, emocionalmente amparados e recebermos exortação.

Creio, porém, que, para a formação de um pastor, a maturidade é mais importante do que o conhecimento e a capacidade oratória.

Acho que, aos poucos, estamos entendendo isto. Quando finalmente entendermos, o modelo atual de relacionamento pastor/ovelha, mudara drasticamente.

Graças a Deus.

Ubirajara Crespo

Publicado a partir do BlackBerry para o WordPress.

Anúncios